Como consegui emprego na indústria da moda

Olá, divas! A dica de hoje é para quem tem interesse em trabalhar com moda, fiz uma entrevista com a Juliana Sato, uma amiga de infância que trabalha há 9 anos nessa área e suas dicas são valiosas.


1. Como você conseguiu entrar na indústria da moda? Quais foram os cursos que você fez para trabalhar com moda?

Estudei moda no Centro Universitário SENAC. Lá é uma faculdade que oferece duas habilitações diferentes: Estilismo e Modelagem. O primeiro é voltado para quem pretende seguir a carreira de Estilista. O segundo, Modelagem, é para aquelas pessoas que pretendem virar Modelistas. Eu optei por esta habilitação.

Também fiz um MBA na faculdade Anhembi Morumbi – MBA de Negócios e Varejo de Moda. Achei o curso muito interessante e super enriquecedor, principalmente para conhecimento pessoal.

2. Aonde você trabalhou e trabalha?

Comecei trabalhando numa confecção no Brás, que geralmente é porta de entrada para muitos recém-formados. Era uma confecção de moda feminina que fazia peças “modinha”, todas em malha (blusinhas, calças, saias – todos modelos que eles chama de “bate caixa”, peças simples, baratas, fáceis de vender).

Depois fui trabalhar numa confecção que fazia vestido de festas. Chama Suely Cencini. Ambiente totalmente diferente ao do Brás. Por se tratar de vestidos finos, eram em sua totalidade feitos em tecido plano, o que exige melhores acabamentos, outros cuidados, desde o corte do molde, costura e passadoria. Trabalhar com tecido plano ajudou muito no meu aprendizado pessoal – refinou meu trabalho como modelista.

Depois passei por algumas outras confecções e hoje trabalho numa confecção que é a principal fornecedora da C&A. Dentro da empresa somos em 6 modelistas para dar conta do trabalho. Por se tratar de peças fast fashion de um grande magazine, estamos sempre correndo contra o tempo para conseguir cumprir prazos.  É uma correria porque muitos modelos são criados de última hora e precisam estar na loja em 2 semanas, por exemplo – tempo extremamente curto para criar, modelar, produzir, enfim, de passar por todas as etapas antes de chegar ao consumidor. Ao contrário da Suely Cencini, onde se confeccionam apenas vestidos da sua marca, trabalhar com magazine exige de certa maneira um preparo até psicológico para trabalhar sob pressão.

3. Como é trabalhar com moda? Quais são as dificuldades para trabalhar nessa área?

Trabalhar com moda é muito prazeroso. É muito legal e gratificante encontrar peças que você modelou nas araras da loja. É um ramo onde você precisa estar antento a todas as informações que circulam, principalmente pela internet. Hoje em dia um estilista não precisa necessariamente viajar até um determinado lugar para saber quais as tendências estão sendo criadas. As informações chegam de forma muito rápida e todas ao mesmo tempo. Saber filtrar isso para atender seu próprio público alvo é o mais difícil.

No meu caso como modelista, onde já recebo o projeto pronto da estilista, o desafio é entender e conseguir transformar aquele desenho 2D em uma peça 3D. Pensar nos acabamentos e na melhor forma de costurar (porque do nosso trabalho se produzirão 5/6/7 mil peças deste modelo).

É importante dizer que trabalhar nessa indústria não é aquele glamour que se vende quando falamos “eu fiz faculdade de moda/trabalho com moda”. Muitas pessoas pensam que quem trabalha nesse ramo são apenas pessoas estilosas, se produzem com looks diferentes, arrojados, abusam de tendências. Mas na verdade, nem sempre é assim.

Como modelista atuo no “chão de fábrica”, ou seja, cercada por máquinas/tecidos/pó e até ratos! (embora nunca tenha visto um, encontrava sempre marcas de patinhas e fezes deles em cima da mesa, principalmente no Brás). Mas isso acontece em qualquer lugar onde existem rolos e rolos de tecidos estocados.

4. Como é o mercado de moda? É fácil conseguir emprego?

Hoje devido à crise, o setor está difícil. Conheço muitas colegas que ficaram desempregas. Porém, se procurar é possível achar vagas, sim. O problema é que muitas delas estão no Brás/Bom Retiro onde os salários, salvo algumas exceções, são mais baixos – motivo pelo qual é a tal porta de entrada para maioria dos profissionais que começam a carreira.

Também acontecem muitas indicações. Em todos meus empregos entrei dessa maneira. Tem o site “Carreira Fashion” que ajuda, que é voltado para essa área.

5. Quais são as dicas para quem quer trabalhar com moda?

Hoje em dia acho importante fazer cursos para modelar no computador. A profissão “modelista” está se profissionalizando – ao invés de fazer moldes com papel/tesoura/carretilha como era antigamente, hoje existem softwares como Audaces e Lectra (que comprou a Investrônica) que além de agilizar a criação, possuem funções muito específicas que nos permitem criar curvas/dobras/pregas/pences como se estivéssemos fazendo à mão. É a tendência. Apesar da minha resistência inicial, hoje modelo apenas no computador e dificilmente voltaria a trabalhar no papel.

Imagem: MorgueFile


Compartilhe conosco suas experiências, dicas ou dúvidas. Responderemos todas as perguntas. Beijos e obrigada pela visita!

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s